Dia do publicitário

Sou publicitário idealista, professor por um mundo melhor e escritor sincero demais para calar diante de julgamentos advindos de mentes pouco receptivas ao que acontece no mundo.

Numa aula de biologia do tempo do colégio da polícia militar, o professor resolveu perguntar para todos os alunos o que eles seriam quando crescessem. Achei a pergunta estranha, ainda mais pela escolha do verbo crescer. A maior parte da turma respondeu “biólogo”, pois a aula do sujeito era das melhores e ele inspirava. Eu fui logo dizendo “publicitário”. Ele então me perguntou: “Você gosta de desenhar, é?” Eu pensei “porra, o que isso tem a ver com publicidade”. “Não, meu negócio é escrever.” Disse com certeza, mesmo sem ter nenhuma, e encerrei o assunto por ali.

Eu cresci e fiz a tal da faculdade de nome pomposo: comunicação social com habilitação em publicidade e propaganda. Em se tratando de profissão, sempre gostei dos nomes compostos e cheios de detalhes. Estudei num tempo de estátuas caídas, pois o mercado se dividia entre os que não davam resultado uma vez que só queriam os prêmios e os que tentavam a todo custo reinventar a profissão. Os leões entravam em decadência e eu não sabia quem era ainda, por isso, segui meus dias. Deixei a carreira me carregar nos ombros, os dias me conduzirem e o tempo curar meus defeitos mais marcantes.

Ouvi depreciarem, ofenderem os publicitários pela má reputação e pelo péssimo exemplo de poucos. Vejo hoje muitos que ignoram o papel social que desempenhamos quando acreditamos de verdade em uma marca, uma causa. Não somos vendedores, simplesmente argumentamos. Não somos tiranos, mas sustentamos nosso papel de retratar uma sociedade em histórias, contos, conceitos, palavras em favor. Posso até lutar com meus moinhos de ventos sem saber, mas meu dia-a-dia é de palavra pelo que de fato pode nos levar a um mundo melhor, revisitando o que de melhor existiu no passado e por um futuro do que pode de fato ser.

Façam, portanto, o que quiserem da sua profissão. Tratem cada trabalho como ofício do homem pela sociedade e pela harmonia com tudo e natureza. Usem a sabedoria que vem junto com a capacidade da compaixão. Junto com esta caminha o respeito. Conservem este por aqueles que fazem de bons negócios, empresas prósperas. Pois, assim geramos mais empregos e mais possibilidades para o mundo dentro dos limites da ética e do consumo consciente. E, quando você acreditar o suficiente que o seu trabalho também faz essa diferença para o mundo, venha e nos convença disso. Se o fizer bem direitinho, poderemos ajudá-lo, com nosso trabalho de publicitários, a construir uma realidade viável para nossas futuras gerações.

Sobre Belão

Escritor, Professor e Publicitário. Não necessariamente nessa ordem. "Ele soava como um delírio de uma mente cansada da banalidade do segunda-à-sexta. Parecia daqueles que desfilam descuidados pelas ruas, sem se deixar afetar por nada ou ninguém. Com estilo próprio por excelência de consciência e com personalidade mais do que confusa pela falta de linearidade de todas suas idéias, pensamentos, ironias, citações e crises apocalípticas de descontentamento pelo mínimo que o existir exige."
Esse post foi publicado em Brasil, declarações, ofício, paixão, profissão, publicidade, respeito. Bookmark o link permanente.

7 respostas para Dia do publicitário

  1. Belão disse:

    Cordial saudação especialmente aos que desempenham seu papel social de tornar as coisas que importam públicas e que propagam idéias de verdade por um mundo melhor. Abraço para os que acreditam no que divulgam, pois eles são profissionais por um futuro de verdade.

  2. Rafa Coradin disse:

    Só consegui ler o texto hoje, mas ele é perfeito para o dia de ontem e para todos os outros dias. Eu continuo insistindo num mundo melhor e num mercado melhor. E, por este motivo, vou tentar formar profissionais melhores para renovar o povo calejado, desanimado e desacreditado que trabalha por aí. Parabéns aos meus colegas de profissão que comem pizza, dormem pouco e se estressam muito como eu!

  3. Belão disse:

    Valeu, Rafa!
    To orgulhoso e torcendo por você. É um mercado carente da academia… a complementariedade é fundamental!
    bjo

  4. Rebeca Ferreira disse:

    Você usa palavras certas no lugar certo, você pensa no que diz e o diz muito bem, te admiro por ser esse profissional cheio de sonhos e anseios, por ser esse Professor que nos mostra a possibilidade de sermos bons profissionais e de termos uma carreira com sucesso e nos ensina também que tudo isso só depende de nós, basta querermos e lutarmos por isso.
    Te desejo um caminho cheio de conquistar e vitórias, e até com alguns obstáculos, porque é com eles que aprendemos e crescemos e que o seu sucesso seja baseado naquilo que você acredita e nada mais.

  5. Belão disse:

    Obrigado pelas palavras e comentários, Rebeca. Vivemos por continuarmos acreditando. Vamos remando até achar o porto seguro. Mãos ao leme! bjos!

  6. As vezes até penso que me equivoquei na escolha do curso, mas como esse é um sonho antigo, da época dos meus 9 anos, quando ainda nem saia que o nome da profissão era PP e quando leio um texto desses, cheio de paixão pelo ofício tenho a certeza absoluta de que é isso que eu quero fazer pro resto da vida.. Acho essa uma profissão muito desafiadora e cheia de segredos a serem desvendados.. Adoro quando me perguntam “tá, vc tá fazendo pp, e quando terminar vai fazer o que?” hahaha.. beijos Belão!

  7. Belão disse:

    Isso mesmo, Jessyka! vamos em frente. é uma grande profissão e há muito bem a ser feito. fico feliz de ter ajudado. Bjo!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s