Dircurso de formatura

Os tempos mudaram. Não sei quem mais sente que o mundo… tem tomado rumos diferentes nos últimos anos.Um rumo de uma busca ainda maior pelo sentido. É como se fosse uma preparação para mudança de consciência que vem com calendários de civilizações perdidas. E, lendas e crenças à parte, nesses dias eu noto nosso pensar intensificado, nosso questionar a realidade exacerbado.

Cada um carrega consigo o que esta busca significa, cada um leva no peito a própria luta, pois caminhamos sozinhos em um mar de gente. Porém, a compaixão, o amor e a nossa responsabilidade de um para o outro, de nossa empresa por nós mesmos, de nós mesmos para o mundo tem crescido – ou deveria crescer.

Paulo Leminiski – brilhante publicitário e fantástico escritor curitibano – disse certa vez que:

“o sentido, acho, é a entidade mais misteriosa do universo. Relação, não coisa, entre a consciência, a vivência e as coisas e os eventos. O sentido dos gestos. O sentido dos produtos. O sentido do ato de existir. Me recuso a viver num mundo sem sentido.”

Mesmo sem ter entendido direito o que era esse tal de sentido, eu sempre busquei alcançá-lo. Na minha família, nos meus amigos, no amor, nas palavras e no meu trabalho de professor e de comunicador social.

Lembro que muito pequeno, eu encontrei nas letras um caminho de viver. Eu gostava de escrever e colocar todo esse negócio que vem de dentro em palavras. Minha mãe até achava que eu tinha alma de artista… – afinal, mãe é uma alma de amor sem fim. Então, no segundo grau, eu, um estudante deslocado no colégio da polícia militar (imaginem só que tinha que ter cabelo curtinho e tudo mais… eu sofriiiia que só vendo) decidi numa aula de biologia que seria publicitário. Foi assim: o professor resolveu perguntar para todos os alunos o que eles seriam quando crescessem. Achei a pergunta estranha, ainda mais pela escolha do verbo crescer. A maior parte da turma respondeu “biólogo”, pois a aula do sujeito era das melhores e ele inspirava. Eu fui logo dizendo “publicitário”. Ele então me perguntou: “Você gosta de desenhar, é?” Como eu não sabia nada da profissão, pensei “o que isso tem a ver com publicidade?”. “Não, meu negócio é escrever.” Disse com certeza, mesmo sem ter nenhuma, e encerrei o assunto por ali.

Entrei na faculdade e me apaixonei por fazer filmes, cinema e tudo mais. Acredito que todo publicitário carrega consigo esse espírito, essa vontade, esse gosto pela beleza que a arte encerra. Mas logo o planejamento de comunicação me puxou pela perna, e cedi, abracei com força para ver se era minha praia mesmo. Entrei em empresas e trabalhei com comunicação empresarial até aumentarem as rugas da minha testa e, em meio a resultados, diminuía o volume dos meus cabelos.

Foi bom! Aprendi a ser gestor de gentes, aprendi que as metas da empresa passam e mudam, as campanhas publicitárias são lançadas e se perdem em tempo, espaço e memória. Porém, o que fazemos pelas pessoas enquanto isso tudo acontece… isso sim é o que fica.

Nesse mesmo passar dos dias, vi também o mercado publicitário do Paraná evoluir. Agências que chamamos de grande olharem pra cá. Vi a cultura do prêmio – o desejo pelos leões engarrafados em troféus – ser substituído pelo resultado empresarial. Mas também vi muita briga de egos e muita gente que, por muito medo da formação dos discípulos, desdenhou da academia, da nossa formação e do nosso diploma de publicitários.

E o desdém somado ao nosso grande não fazer nada pela profissão impediram que qualquer fagulha fosse até hoje levantada a respeito da exigência da formação para um profissional da propaganda.

E em meio a grandes nomes, pessoas de talento que começaram sem diploma, na raça e que merecem nosso respeito, despontam – também e infelizmente – no nosso país, os Marcos Valérios da vida… metidos em escândalos, desvio de dinheiro público, esquemas políticos deploráveis. Indivíduos tristes e mesquinhos que depreciaram o nome na nossa profissão. Aposto que ele não passaria na minha matéria, muito menos na da Nilma.

Por essas e por outras eu digo: vocês passaram pelo menos quatro anos de suas em imersão nesse mundo de estudos e de discussão da ética. Isso molda profissionais, isso desenvolveu sua visão sistêmica – holística – do mundo publicitário. Valorizem. Valorizem seu diploma. Valorizem o trabalho, a dedicação, nossas reflexões, o esforço de seus pais, nossos debates e o aprendizado de vocês com todas as matérias e com o projeto experimental no final do curso.

Posso falar muito desse tal de pex, eu estava lá e vi tudo acontecer. Eu vi vocês crescendo, transformando equipe em uma agência de publicidade. Vi brigas, crises de choro, reclamações sem fim e logo os resultados brilhantes de planejamento, criação e mídia realizados por gente boa, gente grande e boa gente. Vi vocês trazendo os pais para assistir à banca e eu posso falar que isto é orgulho do que foi feito, orgulho do aprendizado. Tenho certeza que fez diferença para vocês, meus afilhados, e sinto enorme satisfação por estar lá e fazer parte desta etapa da suas vidas, pois mudou minha vida também. E isso é mérito de vocês.

Aliás, não escondo meu carinho por cada um. Tenho em mente o orgulho de abraços que recebi, de desabafos que me foram confiados e de noites em que as nossas aulas me faziam sair por aquele estacionamento da PUC flutuanto, doido e delirante com a certeza de que eu estava no meu lugar no mundo pois haviam vivido um grande momento de vida: uma daquelas que de corpo, quadro negro e alma é a melhor aula da semana.

Não foram palavras ao vento…

Portanto, valorizem seu diploma. Tenham orgulho da profissão que escolheram. Façam melhor do que já foi feito e realizado até hoje. Transformem em ofício, em arte e em amor.

Unam-se. E uns com os outros exijam um mercado paranaense e brasileiro melhor. Me matem de orgulho com atitudes por uma realidade de publicitários gigantes e virtuosos.

Pois sim! Acreditem: somos nós que tornamos marcas e bons produtos conhecidos. Somos nós que ajudamos empresas a crescer e a gerar empregos, somos nós que divertimos intervalos comerciais, damos notícias sérias por nossos clientes. São todos nossos textos e nossos desenhos e, por isso, nós, publicitários de verdade, é que colocamos a cara para bater por nossos clientes. Nós movimentamos as mídias, nós permitimos que os meios de comunicação sobrevivam de fato. Os mesmos meios de comunicação que nos trazem toda informação do mundo e nos mantém globalizados e conectados, sem nossa publicidade e nossa propaganda, eles não estariam lá.

Então, entendam – o que levei anos para aceitar e assumir para minha profissão: somos publicitários do mundo, por um mundo melhor. Essa é a mudança de tempos e de consciência à qual me refiro.

E nessa caminhada toda, somos capazes de nos revisitar, de reviver nossos momentos. É como o poeta americano, cidadão inglês, TS Eliot que não canso de repetir escreveu: “Nós não devemos jamais interromper nossa exploração, e o fim dela será chegar ao lugar onde nós começamos e conhecer este lugar pela primeira vez.”

Explorem mesmo. Sejam capazes de revolucionar tudo ousando serem vocês mesmos. Mas descubram, antes, bem certinho quem você são. É tarefa difícil… Ninguém nunca conseguiu de verdade, mas vale a pena tentar. Viver é insistir nessa tentativa.

E se os tempos mudaram… continuem sua busca na mesma simplicidade do que importa. Busquem na família, nos amigos, no amor, nas palavras e na sua profissão de publicitário. Busquem sem parar, mas se recusem a viver num mundo sem sentido.

Para terminar, umas palavras para alguns e para todos:

– Manoella, sua conversa e seu humor são lindos, quase não atrapalharam e fizeram diferença para mim.

– Bruna Graziela, sorria, minha querida, sorria e encare bem de frente tudo.

– Alessandra Larissa, seja sempre essa amiga capaz de dizer basta na hora certa.

– Juliana Mehl, continue com fé seu caminho dedicado e competente.

– Aline, você faz diferença por onde escolher passar.

– Carolina, viva mesmo e não tenha vergonha de nada que seja… nem de ser feliz.

– Juliane, não precisa entender o modo de agir de Deus, ele conhece você. Confia.

– Ana Zem, continue força e talento só não se esqueça do carinho que pode ser encontrado no olhar de quem ainda não conhecemos.

– Helô, teimosias à parte, siga questionando tudo… é um papel para poucos escolhidos à dedo pelo universo.

– Dayane, continue lutando com essa garra pelos seus objetivos. Se precisar brigar que seja com e por amor.

– Taline, segue com esse seu jeito que chama atenção pela facilidade das amizades conquistadas e das piadas soltas em meio à competência dos atos.

– Wendrius, trabalhe ainda mais e use esse seu talento empreendedor até debaixo d’água.

– Bruna Reysel do sorriso arteiro, sonha alto que você alcança tudo.

– Gabriel, chegamos até aqui e é só o começo. Eu tenho fé em você, cara.

– Marianna Grecca, saiba lidar por meio da sua belíssima simplicidade com o sem números de vitórias que virão ao encontro da sua dedicação, capacidade e inteligência.

– Bruna Zanela, já que você gosta bastante das conversas… chegou a hora de falar ainda mais. Falar para o todos, gritar e mostrar pra que você chegou até aqui.

– Alexandre, a vida é bem séria mesmo, ela nos leva e conduz, então, vamos convidá-la para brincar. Todo dia invente um jeito novo.

– Claudia, a felicidade é de fato o caminho e ela só existe se compartilhada. Compartilhe ainda mais!

– Vinícius, sim, você é brilhante! Tenha calma, escute bastante e receba ainda mais frutos e acolhimento das pessoas.

– Kamila, segue com encantos de viver e com maior beleza na alma.

– Bruna Brugman, do terceiro para o quarto ano você já foi tão além, só imagino – e torço – por ainda mais daqui para frente.

– André, boa gente e gente boa… use sua facilidade de viver para transformar tudo ao seu redor, você pode.

– Mayara, dirige essa arte toda pela vida até que os traços que você cria carreguem sua carreira pelo ombro até o topo.

– Alessandra Carvalho, trabalhadora do meu Brasil, valoriza seu diploma por todas estas agências que te receberão de braços abertos.

– Ariane, menina que se desdobra e faz de tudo um pouco e tudo muito bem, vive bem publicitária, tá?

– Ana Salles, nunca mais se surpreenda quando enxergarem talento em você.

– Bruna Lorenzo, respira e vive em paz, você é do bem que eu sei e gosto de ver.

– Tati, pequena Tati… o padrinho e ex-orientador, está sempre aqui para dar conselhos e ajudar nessa caminhada de grande publicitária.

– Cristian, faça tudo por uma realidade melhor! Pelo Brasil!

– Flávia, muito rock e amor pra você. Eu já te vejo brilhar.

– e, por último, e não menos importante… Carlos… meu amigo Charles, acredite nesse mundo. Assuma o leme, marujo!

Para vocês e para todos os outros que estavam em sala, mas não estão aqui nessa bancada hoje, saibam que mudando ou não… o tempo é agora. Como disse o Paulo Freire, o mundo não é… ele está sendo.

Então, publicitários do nosso presente, orgulhai-vos, pois eu me orgulho de vocês. Valorizem seu diploma e me matem de orgulho.

E, gente, já que falamos de mudança, vale a pena reinventar, revisitar e repetir. Busquem na família, nos amigos, no amor, nas palavras e na sua profissão de publicitário. Vivam e deixem viver.

Busquem sem parar, mas se recusem – assim como eu – a viver num mundo sem sentido.

Com todo meu amor, meu muito obrigado.

Sobre Belão

Escritor, Professor e Publicitário. Não necessariamente nessa ordem. "Ele soava como um delírio de uma mente cansada da banalidade do segunda-à-sexta. Parecia daqueles que desfilam descuidados pelas ruas, sem se deixar afetar por nada ou ninguém. Com estilo próprio por excelência de consciência e com personalidade mais do que confusa pela falta de linearidade de todas suas idéias, pensamentos, ironias, citações e crises apocalípticas de descontentamento pelo mínimo que o existir exige."
Esse post foi publicado em amor, Brasil, declarações, formatura, intensidade, ofício, paixão, profissão, publicidade, respeito, tempo, viver. Bookmark o link permanente.

19 respostas para Dircurso de formatura

  1. Rafa Coradin disse:

    Acho que quero me formar mais uma vez. Agora com vc como padrinho. Topo até fazer o TCC de volta. Só pra ter o registro de um discusso assim!

  2. Belão disse:

    Valeu, Rafa! foi emocionante demais pra mim. momentos especiais da vida que sabemos que estamos vivendo são ainda melhores.

  3. Vanelise Valério disse:

    Esse discurso me fez pensar em muita coisa, sobre minha vida, Parabéns!

  4. Silvia disse:

    Lindo discurso! vc me emociona.

  5. Belão disse:

    Vanelise, obrigado! Se fez pensar, serviu pra alguma coisa.
    Silvia, sempre presente ein! valeu mesmo!

  6. Andre Yamauti disse:

    Eu me recuso a viver num mundo sem sentido!

    Obrigado por tudo Belao, Professor, Amigo e agora Padrinho hahahaha

    Valeuww

  7. Belão disse:

    Valeu, André! Vamos buscar cada vez mais sentido então.
    Obrigado pelo carinho e pode contar comigo sempre.

  8. Fer disse:

    Fe, voltei aos meus tempos de faculdade.
    Suas palavras me fizeram sentir muita saudade daquela época boa!
    Fiquei nostálgica agora! ;D
    Parabéns, amei o discurso!

  9. Belão disse:

    Valeu, Fer! que bom que você apareceu por aqui! saudade sempre fica!
    Bjos!

  10. Thaís Mocelin disse:

    Peguei equivalência justo na sua matéria em Jornal…
    Parabéns pelo texto e, principalmente, pela coragem de assumir a responsabilidade de falar especificamente a cada um dos formandos.

  11. Andressa Gomes disse:

    Ah que lindooo, eu quero na minha também! hahaha =)

  12. Angela Hortencia Weber disse:

    :’|
    Angela chorando no trabalho hahaha

  13. Belão disse:

    Valeu, Thaís! fico feliz em saber que curtiu. Coragem não me falta mesmo! =)

    Andressa, valeu pelo comentário! fico feliz que gostou. pode contar comigo!

    Angela, chorou, é? =) eu me emocionei na hora de falar tb… obrigado por comentar!

  14. Larissa Sandri disse:

    Muito bom o discurso! Vocês professores têm o dom de nos dar coragem nos momentos em que menos acreditamos no mundo e na nossa profissão! Parabéns, deve ter sido emocionante.

  15. Belão disse:

    Valeu, Larissa.
    Obrigado por passar por aqui. Estamos aqui pra isso e temos que acreditar sempre.
    😉

  16. Flávia e Duda disse:

    Cada palavra que você escreve me arrepia… sempre! Tenho muito orgulho de ter tido a melhor aula da semana. Você me ensinou muito mais do que o simples processo da batata gigante…. você me ensinou sobre a vida!!!! Sinto muitas saudades….
    um beijo no seu coração gigante!!!!

  17. Belão disse:

    Valeu, Flávia e beijão pra pequena Duda!
    obrigado pelo carinho. A batata gigante é o caminho para um conhecimento maior.
    Sempre aqui, pode contar comigo.
    Beijos!

  18. luci disse:

    Ainda bem que eu estava lá só em citação…acho que eu choraria mais do que no dia da sua formatura.
    Fiquei pensando em cada pai e cada mãe que ouviu você falar dos seus…uau!
    Fiquei imaginando o pátio da PUC e você saindo do chão…
    Não lembrei de nenhum professor assim tão brilhante em minha graduação mas lembrei da minha fase de estudante…e olha que faz tempo!
    Que lindo. Parabéns!
    Orgulho de mãe!
    Ah! ainda acho que você tem alma de artista. Não, não acho não. Tenho certeza.
    Beijos.

  19. Belão disse:

    Desculpa, gente, mas minha mãe é demais!
    hehehe
    Valeu, Mãe! Amo você!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s