O Milagre que é Amar

Resultado de mais uma parceria,
desta vez com meu amigo de tempos de Colégio da Polícia,
hoje Professor Jack Holmer,
que abre o texto com suas letras.

 Jack Holmer conta:
Faz tanto tempo que não choro por amor.
Isso faz muito tempo.
Foi bem antes da menina que roubava livros, do homem que roubava carros e do menino que roubava beijos. Bem antes.
A última vez foi quando o menino que gostava de robôs encontrou a menina que acreditava nos homens. Ele construía máquinas afetivas e ela fazia café no coador de pano.
Não deu certo (e não houve choro no final).
Amor só da certo quando você fala com quem o recebe pela arte (sem precisar ser artista necessariamente).
O menino do pé preto, o mesmo que gostava de robôs, e a menina das saboneteiras lindas, a mesma que acreditava nos homens, trocavam sms. Ele não era piá de prédio e ela não sabia cuidar de joaninhas.
Mas mesmo assim podiam chorar ao se declararem e se sentirem amados.

Felipe Belão escreve:
O amor requer tempo. Tempo de aprender a amar, hora pra sentir e descoberta para existir. Pro amor, tempo-espaço pouco importa. Também não prevê suas lágrimas, não se baseia em sua pressa ou na sua diferença – busca de pertencimento – ou em sua aventura dos gostos iguais – procura da cumplicidade. O amor rouba livros, entrega músicas e se concretiza no toque do abraço, perfume, pele. O beijo vem depois, demora um pouco. O encontro de almas vem antes, bem antes. O amor requer fé no homem, na mulher, nas pessoas misturadas. Implora nossa crença, nossa insistência, pois é tipo um milagre de acontecer. Excelência de viver, se pensarmos bem. Ele é plenitude de expressão, na medida em que amar é arte. E não só de encontro, como nos disse o poeta mais sábio, mas arte de saber dizer, escutar, agir, manter, cuidar. É uma arte de entrega, de saber o tempo das mensagens, de saber declarar. Amar é poder perder e chorar tanto que, ainda assim, faz o hoje valer a pena. Basta existir, entregar ao mundo e permitir. Amar é parar de esperar: simples sentir.

Sobre Belão

Escritor, Professor e Publicitário. Não necessariamente nessa ordem. "Ele soava como um delírio de uma mente cansada da banalidade do segunda-à-sexta. Parecia daqueles que desfilam descuidados pelas ruas, sem se deixar afetar por nada ou ninguém. Com estilo próprio por excelência de consciência e com personalidade mais do que confusa pela falta de linearidade de todas suas idéias, pensamentos, ironias, citações e crises apocalípticas de descontentamento pelo mínimo que o existir exige."
Esse post foi publicado em amor, Jack Holmer, Literatura, paixão, Parceria, viver. Bookmark o link permanente.

30 respostas para O Milagre que é Amar

  1. Gabriella disse:

    Sensacional, sem mais. =]

  2. Belão disse:

    Valeu, Gabriella!

  3. Silvia disse:

    ameiii

  4. Anônimo disse:

    me vestem né… sempre.

  5. Belão disse:

    Valeu, Silvia!

  6. Me vestem né… sempre.

  7. Belão disse:

    É mesmo, pessoa anônima? identifique-se e seja sempre bem-vindo

  8. Belão disse:

    ah, é vc, fer! hehehe agora saiu identificado! =))

  9. Tali Miranda disse:

    Lindo!!

  10. Belão disse:

    valeu, Tali, fiel cliente do blog.. hehehe

  11. Renata Silva disse:

    lindinho e simples… beijo beijo

  12. Andressa Gomes disse:

    Que os meninos continuem roubando beijos, e as meninas acreditando nos homens (com moderação rs). Nada como tentar para sonhar, chorar e acreditar, que sim é possível amar! Por mais impossível que parece, ou por mais ilusório que seja, o amor existe e é a essência da alma. Não existe maneira certa ou errada, mas única de cada um. Sorrir, chorar, pular, cantar, sofrer são consequências da imensidade desse sentimento. Amar é sim uma linda obra de arte. Complexa e sem sentido para quem não entende, não sente, mas linda e única pra quem saber ver e viver.
    Texto lindo como sempre.
    =)
    Beijos.

  13. Belão disse:

    Valeu, Rê!

    Obrigado, Andressa! Os textos respiram na mesma medida que vocês os lêem. obrigadão pelo comentário e carinho!

  14. JuniorGros disse:

    Amor, palavra curta, pesada no sentido, leve no sentimento.
    Amamos as coisas, amamos a vida, amamos pessoas.
    Esse o amor de poesia, amor de canções.
    Palavras, versos, melodias.
    Não dormir nas noites, sonhar nos dias.
    É realmente um encontrar de almas antes de tudo…
    Sintamos!

    Parabéns!

  15. Belão disse:

    Valeu, Ademir! Você vai preparando que estou esperando seu texto pra mais uma parceria ein! Abraço!

  16. Giovanna disse:

    ” Amar é poder perder e chorar tanto que, ainda assim, faz o hoje valer a pena. Basta existir, entregar ao mundo e permitir.”
    Lindo! E sabe do que mais? Ando vestindo as carapuças dos seus textos que têm caído como luvas na prática! hahaha mais um ótimo texto.

  17. Belão disse:

    Giovanna! obrigado por passar… vista as carapuças dos meus textos a vontade. tudo pensado e passado pelo caminho do bem. obrigao mesmo! bjs

  18. Anônimo disse:

    amei esse texto e vou divulgar na minha rede!!!!

  19. Belão disse:

    Pessoa Anônima, agradecido!

  20. Nati disse:

    🙂
    “Amar é parar de esperar: simples sentir.”

  21. Jessyka Ramona disse:

    “Implora nossa crença, nossa insistência, pois é tipo um milagre de acontecer.” É exatamente isso, haha. Acredito no amor construído, no fértil de compreensão e companheirismo, essas palavrinhas expressam muito bem isso; acho que dois seres humanos precisam ser muito especiais para se amar de verdade. Valeu a parceria Belão, parabéns pros dois, ficou ótimo! (=

  22. Belão disse:

    Valeu, Jessyka! estamos aí nesse mundo pra espalhar palavras. Bjs!

  23. Thaís Mocelin disse:

    “Amar é parar de esperar: simples sentir.” (2)

  24. Belão disse:

    obrigado pelo comentário, Thaís! =)

  25. Victor Nassar disse:

    Bem bacana os textos e a idéia! Parabéns Belão!
    Me deu até vontade de retornar a escrever meus devaneios.

    Por sinal, afim de brincar com esse texto?
    http://celavih.blogspot.com/2009/08/encontro-da-vida_7564.html

    Abs!

  26. Anônimo disse:

    e vivaaa.. o amor..e aqueles que se amam!!
    “Tornar o amor real é expulsá-lo de você,
    Prá que ele possa ser de alguém!” Nando Reis…

  27. pra variar
    amei o seu texto

  28. Belão disse:

    Victor, vamos brincar sim! me manda por e-mail o que vc quer trabalhar e vamos fazer uma parceria!

    Obrigado, seu anônimo! É verdade!

    Valeu, Denise! adoro que vc passa por aqui sempre =)))

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s