Complexo de simplicidade

Vivemos num mundo que discute. Vive com base num conflito feito de violência. “Você é de direita demais.” “Seu revolucionário.” “Você gosta de meninos e eu de meninas.” “Você não come salada.” “Vou organizar uma marcha para parecer menos hipócrita com relação a minha sexualidade.” “Você sim, é politicamente correto… gostei de ver.”

Sério mesmo, as pessoas têm vocação pro drama e parecem escolher o complexo cada dia quando acordam. E, enquanto o mundo sangra, protestamos com a violência que destrói bem mais que propriedades. Depreciamos nossa própria dignidade e capacidade de viver o bem. Seguimos crentes de que temos que ter opinião o tempo inteiro, que temos que escolher infalíveis partidos, invencíveis times de futebol e amizades principais, secundárias e atribuir títulos e troféus para quem chega perto. Tornamos tão complexo viver em sociedade que não encontramos mais sentido, sendo está tudo ali em nossa frente: possibilidades e oxigênio; raciocínio e um marzão azul só nosso pra se jogar com pôr-do-sol pra se esconder.

E ampliamos essa busca da complexidade para nossa existência. Acreditamos em sermos especiais e famosos no tempo, reconhecidos no espaço e elevados à máxima potência da representação do auge humano no que quer que façamos. E nessa loucura do ego – nossa consolidação da mediocridade – não reparamos no amor que se desdobra em encontros, em mãos dadas e no compartilhar do nos permitirmos.

Pois eu já vivi o complexo, já passeei com a soberba e já dei de cara com a frieza da superficialidade da imagem projetada. Não me encontrei, achei nada tampouco. Então, decidi me olhar no espelho, lembrar o que já fui e dos erros que já cometeram por mim para jamais voltar a incorporá-los a mim mesmo como meu defeito. O trauma tem seu tempo e quando passa, estamos livres para a entrega.

E o auge de nossa entrega para o mundo está em vivermos em nosso próprio complexo da simplicidade.

E começa bem devagar. Na vontade que não contamos para ninguém, nem para nós mesmos. Dividimos apenas com nossos sonhos. E sonho não mede lugar. Então, chega a hora em que passa também pelo som, olhar e pele. Nada mais simples do que tocar alguém. Você e a pessoa sentem e mais ninguém. Ninguém mais enxerga. O conflito mundial acaba e concentramos pensamentos e vontades naquele instante de tudo pela frente. Duvidamos já de início que o mundo possa ser assim com tanto respeito de mãos cuidadosas. Alguém corre só pra mostrar pro outro que permanece como deve ser. Então, os dois ousam confiar. Dividir dedos entrelaçados. Polegar por cima ou por baixo tem motivo de ser. Por mais que observem de fora, só os dois sabem do quando e do porquê. Tudo porque, quando se divide, encontra-se sentido. E, de uma hora para outra, o que era pra ser se consolida em palavras, tipo coca-cola e sonho de valsa. Começo de algo de sentir-se bem para simplificar nossa complexidade. Nossa cumplicidade quer o bom do jeito que sempre ouve, não deixa solidão se aproximar pelo simples saber, conhecimento do toque. Palmas juntas, linhas do tempo cruzadas. O mundo imaginado se desdobra diante dos olhos. Não há mais violência diante do que passa rápido para quem decide buscar no amor a paz. E devagar as mãos se afastam, só para esperar o próximo encontro.

Paz no mundo. Quem tem complexo de simplicidade não quer a posteridade, pois mira no agora que tem tudo a permitir e entregar. Próximo encontro… e começa bem devagar, nada mais especial que voltar aos teus braços. Paz no mundo.

Sobre Belão

Escritor, Professor e Publicitário. Não necessariamente nessa ordem. "Ele soava como um delírio de uma mente cansada da banalidade do segunda-à-sexta. Parecia daqueles que desfilam descuidados pelas ruas, sem se deixar afetar por nada ou ninguém. Com estilo próprio por excelência de consciência e com personalidade mais do que confusa pela falta de linearidade de todas suas idéias, pensamentos, ironias, citações e crises apocalípticas de descontentamento pelo mínimo que o existir exige."
Esse post foi publicado em amor. Bookmark o link permanente.

25 respostas para Complexo de simplicidade

  1. Nati disse:

    Coca cola e sonho de valsa 🙂

  2. lg disse:

    dificultar não tem nexo
    ser simples não é complexo
    como se olhar no espelho
    e enxergar nosso próprio reflexo

    lg

  3. Belão disse:

    De mãos dadas, Nati, com toda coca e sonho de valsa…

    Léo, sensacionais estes comentários com poemas, fazem valer ainda mais escrever! Valeu!

  4. o ego faz com que as pessoas fiquem cegas e veja apenas os seu objetivos e esquecê que o mundo é feito por pessoas, e por culpa de alguns a maioria paga.

    bjus
    ate o proximo

  5. Belão disse:

    Eu acredito bem nisso. Não há ego no amor… só mãos dadas. Obrigado, Denise, por passar por aqui!

  6. Silvia disse:

    adoreiiiii principalmente o finalzinhooo bju bju

  7. Belão disse:

    Obrigado, Silvia! tks a lot!

  8. Renata Silva disse:

    texto destes que eu gosto e concordo com a Silvia… o final é o melhor! beijos!!!!!!!!

  9. Andressa Gomes disse:

    Na verdade vivemos em um mundo onde as pessoas se acham no direito de julgar uns aos outros sem olhar pra sí mesmo. Quem nunca cometeu um pecado ou errou em algum momento? Afinal quem pode dizer isso?
    Simplicidade, humildade e amor devem caminhar sempre juntas, quando uma se perde as outras desandam.
    “Paz na terra aos homens de boa vontade”

    Em especial adorei esse texto.
    Beijos Belão!

  10. Belão disse:

    Obrigado, Andressa. é um texto de paz e amor, literalmente… valeu por sempre passar e pelo comentário! Beijos!

  11. Alessandra disse:

    paz no mundo pra todos
    bj

  12. Tali Miranda disse:

    Muito bom! =)

  13. Belão disse:

    Valeu, Tali! =)

  14. rava, pedrada mode disse:

    aqui comeca o comentario do Rava. Ponha o protetor bucal e leia por conta e risco

    primeiro, obviamente estou mais civilizado, apesar do conceito de civilizacao que a raca de vcs tem. A prova disso é o aviso acima, que ja dizia das pedradas a vir.

    segundo, como sempre, quem faz isso com idiotas tal e qual eu, e o belao, sao as mulheres. No meu caso, uma leticia, no caso do belao ele que nomeie. Mas vamos ao que interessa: viva simples.

    Viva simples. Os deuses que voce criou tem os pés de barro (nietszxwzche – saúde – naquele ano lá). Teus ídolos tem pés de barro. O humano mais rico do mundo precisa ir no banheiro 1x por dia (caso teja bem de saúde).

    Você criou – e projetou – seu sucesso / felicidade / eretibilidade em outros seres humanos, tao mesquinhos, nobres, pusilanimes, fantasticos, debeis, colossais quanto você.

    só depende de você.

    bater os seus ídolos. bater os deuses que você elegeu como seus. fugir e derrotar você mesmo. ter o “je-ne-se-quois” que fez todos nós sermos únicos.

    Eu, filho do carbono e do alumínio… ele tb. Você tb … todos nos temos, por herança, a grandiosidade……. mas. .. ah… falta tanto cojone para FAZER. . . onde fazer não é uma medida baseada em sucesso monetario, mental, sexual. Fazer e sucesso sao as suas medidas.

    NAO OLHE PARA O LADO. Suas medidas. Só suas. Faça o seu melhor até a exaustão e depois simplesmente aproveite o fruto do seu trabalho. Ignore quaisquer outros humanos à sua volta.

    Seja simples, nao por ser simplório. Mas por ser… simplesmente você, e não os outros que você projetou em você.

    Rava
    no meio da garrafa de vino

  15. Belão disse:

    Sensacional, Rava!
    é bem por aí… quem não encontra nas suas próprias medidas a simplicidade ou a simplicidade em suas próprias medidas… não dá conta do mundão em que o próximo é feito do mesmo barro que a gente.
    Valeu mesmo! Será um grande pai pra Letícia!
    Abraço

  16. Anônimo disse:

    Ei Belão… o Rava mandou bem pacas! rssss Abraço para os dois

  17. Belão disse:

    Valeu, seu anônimo! abraço!

  18. Re disse:

    e vivaaa…as coisas simples da vida…!!
    eu sou muito amelie…huahauh…a mão no saco de feijão….fotografar os desenhos nas nuvens…colocar dez morangos um em cada dedo…separar o champignon na boca…hauhau isso ja é renatez…cada um com a sua…huhauh coca cola e sonho de valsa!

  19. Belão disse:

    boa, Rê! Mas a coca e o sonho de valsa são imbatíveis… vai dizer.. hehehe

  20. Jéssica Medeiros disse:

    não tomo coca, rs mas o sonho de valsa é meu favoritoooooooooooo =D

  21. Belão disse:

    hahaha boa, Jéssica. A combinação é perfeita.. mas o sonho de valsa já é genial.. =)

  22. pequenanati disse:

    “…nada mais especial que voltar aos teus braços” 🙂

  23. Belão disse:

    mais especial.. é receber…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s