Quanto pesa teu maracatu?

Salve, Chico Science!

Como uma nação inteira da música, um zumbi subversivo, carrego comigo o peso do meu som na bagagem. Minha alma pede passagem pela vida, com ânsia de ser mais e descobrir. Não sou de medir palavras e gestos. Vou e volto sem rodeios, na linha reta de minha vontade.

Sempre fui de ritmo forte – para o trabalho e preguiça, para a festa e reclusão. Sou de pouco obedecer ao tempo, ao ritmo reto de se portar, sentar à mesa ou limpar os pratos. Não acredito mais nos aplausos, embora os tenha apreciado muito no passado. Aquilo que acreditava antes, não me serve mais de resposta. Estou criança pela primeira vez. Sou um descontente que enxerga a importância dos sentimentos extremos, pontos polares dos dias que seguimos. Sinto o triste com a alegria de poder vivenciá-lo em explosão que aos poucos se transforma em fúria.

Desabafo no papel, com poucas palavras. E por que não dizer que meu parágrafo pesa uma tonelada. “Chega de pensar agora”, penso enquanto encosto a tinta que mancha o branco e em instantes, se desenha algo mais forte que mil imagens: meu texto em alma. Tudo porque, em se tratando de desabafo, minha alma vira texto e meu sonho não tem fim.

Sobre Belão

Escritor, Professor e Publicitário. Não necessariamente nessa ordem. "Ele soava como um delírio de uma mente cansada da banalidade do segunda-à-sexta. Parecia daqueles que desfilam descuidados pelas ruas, sem se deixar afetar por nada ou ninguém. Com estilo próprio por excelência de consciência e com personalidade mais do que confusa pela falta de linearidade de todas suas idéias, pensamentos, ironias, citações e crises apocalípticas de descontentamento pelo mínimo que o existir exige."
Esse post foi publicado em declarações, intensidade, Liberdade, loucura, Nação Zumbi. Bookmark o link permanente.

8 respostas para Quanto pesa teu maracatu?

  1. pequenanati disse:

    A vida é pra ser vivida com intensidade. E como é bom poder dividir essa insensidade com você. Belo texto 🙂

  2. Belão disse:

    obrigado… viver é aquele caminho longo em que a jornada é o destino, certo? heheh

  3. Silvia disse:

    pesado tipo viver?

  4. Belão disse:

    pode ser leve, insustentável.
    valeu pele comentário, Silvia!

  5. Vanessa disse:

    Atenção para a seguinte constante:

    Criação de histórias e contos esta para os autores
    assim como drogas esta para os viciados…

    Fato: enquanto não se alimenta esta vontade não há sossego…

    Sem aplausos hoje.

  6. Belão disse:

    Não entendi seu comentário, Vanessa.

  7. Muito bom. Frases que carregam a intensidade que parece vir de um mergulho na essência.
    Excelente.

  8. Belão disse:

    Obrigado mesmo! Intensidade com maracatu 🙂

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s